☰ Menu
☰ Menu
Publicidade
CIDADÃO MINEIRO

Giuliano Bozzano reergue Minas Gerais e se consolida como chefe de estado

Ex-árbitro aspirante FIFA mudou o panorama na arbitragem mineira

26/12/2017 02:24

Voz do Apito

Minas Gerais – O sobrenome por si só é um belo cartão de visitas, mas a sua trajetória de sucesso no futebol foi determinante para que Castellar Neto, Presidente da Federação Mineira de Futebol, em 2014 o convidasse para assumir o comando da arbitragem mineira. À época, o anúncio pegou a todos de surpresa já que não se pensava em mudanças imediatas com a troca do comando da FMF.

Bozzano assumiu o comando da arbitragem mineira em 2014, após convite de Castellar Neto
Foto: Supersports

Ex-árbitro dos mais renomados da história recente do futebol nacional, Giuliano Bozzano aos 33 anos resolveu pendurar o apito precocemente, mas como começou cedo teve a chance de viver experiências históricas como a de, aos 19 anos de idade, estrear na Série A do Campeonato Brasileiro atuando para milhares de pessoas.

Filho do lendário Dalmo Bozzano, ex-árbitro FIFA de Santa Catarina, ele desde pequeno acostumou-se a ver as dificuldades que o pai enfrentou antes de atingir o sucesso. Estudioso e dedicado, a paixão pelo esporte fez com que o seu nome com o passar dos anos se tornasse tão importante quanto o do pai, que hoje aposentado, acompanha o sucesso do filho.

Após aceitar o convite para comandar a arbitragem mineira, Giuliano Bozzano sabia que não teria vida fácil pela frente. Com um quadro envelhecido nas mãos e totalmente desmotivado, não lhe restou outra opção a não ser recomeçar do zero, e foi justamente isso que ele fez.

Atuando ao lado do ex-árbitro Rogério Costa, Bozzano concentrou esforços na base, local onde começou um trabalho minucioso na busca de novos nomes para a arbitragem mineira. Quatro anos depois de ter assumido o quadro, hoje o panorama em Minas Gerais mudou da água para o vinho. Além de ter um dos quadros mais confiáveis do país, a FMF revelou um dirigente que ultrapassou os limites de sua história e provou na prática que ex-árbitro pode sim se tornar um gestor de sucesso.

Com um plantel de profissionais conceituados que atuam diretamente na qualificação dos profissionais de arbitragem, o Estado de Minas Gerais se tornou um enorme centro evolutivo de novos árbitros, meta antiga de Bozzano que hoje virou realidade.

Durante anos árbitros de outras regiões do Brasil comandaram as finais estaduais em Minas Gerais, mas isso hoje faz parte do passado. Em 2018 o Campeonato Mineiro deverá ser comandado exclusivamente por árbitros locais, sintoma de prestígio deixado como legado por uma das gestões mais competentes do Brasil.