☰ Menu
☰ Menu
Publicidade
FAZENDO A DIFERENÇA

‘Sergipe possui os melhores árbitros do Nordeste’, destaca Edmo Oliveira

Dirigente linha dura cria núcleo intensivo de treinamentos para a arbitragem sergipana e só promove quem se destaca

25/12/2017 22:11

Voz do Apito

Sergipe – Ele assumiu o comando da arbitragem sergipana com a difícil missão de resgatar a autoestima do quadro. Com poucos recursos financeiros, mas muita vontade para driblar as dificuldades, o ex-auxiliar da CBF, Edmo Oliveira, aos poucos vai conseguindo mudar o panorama que encontrou quando decidiu assumir o desafio de dar novos rumos a arbitragem sergipana. Policial Militar da ativa com vários estudos científicos sobre a educação física, área em que atua a mais de uma década, como não poderia ser diferente esse tem sido um dos pilares mais eficazes de sua gestão.

Edmo Oliveira está à frente do Comitê de Árbitros de Sergipe desde 2016
Foto: Voz do Apito

Sob sua tutela, a Federação Sergipana de Futebol tem hoje um núcleo contínuo de treinamentos, metodologia que visa aproximar critérios e melhorar o desempenho dos árbitros nas partidas em que eles são designados. “Todos os meses o nosso quadro passa por uma avaliação teórica objetivando mantê-los atualizados sobre as regras do futebol. As avaliações são usadas como parâmetro de acordo com o desempenho individual de cada um. Implantamos no estado o núcleo contínuo de treinamentos que engloba tanto a parte física, quanto a teórica e os resultados tem me agradado”, destacou.

Com carta branca para fazer modificações meritocráticas necessárias visando estimular o crescimento profissional dos seus árbitros, Edmo Oliveira tem conseguido realizar o que se propôs quando assumiu o COAF. “Sergipe tem os melhores árbitros do Nordeste! Eu tenho 5 árbitros centrais que apitam qualquer jogo no Brasil, pode apostar”, contou.

Árbitro número 1 de Sergipe, o baiano Cláudio Francisco Lima e Silva talvez seja a maior referência de sua gestão. Mais magro e com um nível técnico que o manteve entre os árbitros que mais atuaram na elite do futebol brasileiro na última temporada, tudo isso é graças ao trabalho pioneiro realizado no estado.

Severo com desvios de conduta, mas justo quando é preciso promover novos profissionais, Oliveira tem sido taxativo em relação as indicações que ferem o princípio básico da meritocracia. “Deixo bem claro que aqui só trabalha quem tiver média 7 nas avaliações teóricas, independente de nível e passar nas provas físicas. Procuro sempre ser justo, com clareza e transparência. Se o árbitro é bom e tem potencial, eu digo isso a ele. Agora, se não tiver talento, não adianta insistir pois é perda de tempo”, declarou.

O Campeonato Sergipano começa em janeiro de 2018, mas os árbitros do quadro já fizeram a pré-temporada. Mas se engana quem pensa que a bateria de avaliações terminou. Metódico e em busca da excelência, Oliveira marcou uma inter-temporada que visa uma série de demandas como: avaliação com a nutricionista da Federação, aulas sobre a legislação esportiva e recomendações sobre o Sergipano de uma maneira geral.

Satisfeito com o trabalho realizado até aqui, Edmo Oliveira lembra com saudade do tempo que era árbitro assistente. “Até hoje quando vou a um campo de futebol me recordo do que vivi dentro dele. Foram anos de dedicação para conquistar tudo que o esporte me deu. Além das amizades e da experiência única de trabalhar nos mais importantes estádios do país, hoje posso passar todo o conhecimento que adquiri ao longo dos anos para os meus colegas de trabalho. Estou feliz com o que estamos fazendo em Sergipe e garanto a você que é apenas o começo”, sentenciou.